Carrinho

0 artigos no carrinho

Secções

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Suporte FAQS

FAQS

Seleccione, abaixo, a sua dúvida na lista de FAQs. Caso não encontre a pergunta/resposta desejada, por favor contacte-nos.

 

Alarmes

 

Cablagens

 

Câmaras

 

Geovision

 

Alarmes

  • Como desabilitar o Reset da Central de Alarmes?

Um aspecto muito importante da Central de Alarmes é a de que o Reset só deve ser desabilitado quando o utilizador tem a certeza qual o código de serviço.Isto tem que ser tomado em conta devido a que se o código de serviço é perdido a Central de Alarmes fica perdida. Terá que ser devolvida ao fabricante.

 

  • Compatibilidade dos produtos Jablotron

 

  • Como transformar um contacto Normalmente Fechado (NF) em Normalmente Aberto (NA)?

No caso de pretender transformar uma entrada da central de alarmes de NF para NA necessita de alterar a entrada para balanceamento simples e colocar uma resistência de 2.2K(a que vai na central de alarmes) em paralelo com o dispositivo.

No caso de pretender transformar um JA-60N de NF para NA necessita de colocar uma resistência de 10K em paralelo, que vai na caixa do mesmo. O objectivo disto é por exemplo quando pretendemos transformar um Detector de inundação por cabo(NA) em sem fios.

 

  • Como registar um teclado sem fios?

Quando temos um teclado sem fios e ainda não temos nada instalado na central, necessitamos de registar o dispositivo da seguinte forma

  1. Desligar a central
  2. Colocar um jumper nos pinos de reset
  3. Ligar a central
  4. Colocar as pilhas no teclado
  5. No teclado terá que ficar em P após alguns segundos (Caso não aconteça volte ao início)
  6. Retirar o Jumper
  7. O Teclado (JA-60F) fica pronto para funcionar

 

  • Não consigo registar um dispositivo via rádio!

Quando esta situação ocorre podem acontecer as seguintes situações:

  1. O dispositivo está distante logo não é possível detecta-lo (100 metros em campo aberto é o máximo alcance)
  2. O nível de sinal é baixo (Ver com o Comlink ou com o teclado sem fios)
  3. Existe um obstáculo no meio. Se o obstáculo for de metal a situação é agravada.
  4. O módulo rádio do dispositivo não funciona. Testar em outra central. Caso o problema persista poderá ser mesmo um problema do módulo rádio da central. Neste caso entrar em contacto com a IVV-Automação.

 

  • O teclado indica uma falha e emite um "bip".

Para verificar qual a falha que está a ocorrer prima a tecla N para inibir o "bip" e mostrar no LCD qual o dispositivo (zona) que está com problemas. Indicando também nos leds se é um problema de tamper ou outro. A informação do problema está gravada na memória de eventos que poderá visualizar mais tarde com o comlink ou premindo F4.

Por exemplo se for um problema de tamper, resolva o problema colocando o tamper fechado. Caso tenha tentado todas as situações em último recurso elimine a zona.

 

  • Tenho a indicação de falha na linha telefónica, no entanto o telefone funciona.

Esta situação pode ocorrer quando é efectuada uma chamada telefónica com duração superior a 15 minutos. Isto é um sistema de salvaguarda para garantir que a linha não está inibida.

Para resolver o problema basta premir a tecla N.

No caso de o problema persistir desabilitar o teste de linha.

 

  • O Detector PIR activa repetidamente o alarme sem qualquer razão visível.

Neste caso verifique se existem animais na área protegida (Por ex. ratos...), variações bruscas de temperatura ou circulação intensa de ar, movimento de objectos com temperaturas a rondar os 37°C, etc.

Para resolver estes problemas:

  1. Colocar lentes de protecção para animais ou outras.
  2. Alterar a posição do detector
  3. Aumentar a imunidade do detector (Alteração dentro do detector)

 

  • O sistema não comunica com o PC a que está ligado

Verificar se o cabo PC-60B ligado e se não está ligado numa porta errada.


Como ver o nível de sinal no teclado.

Entrar em modo de programação e posteriormente carregar em 1.

Entre na lista de dispositivos agora com o 1 e o 7 percorre a lista de dispositivos. Sabendo a posição do dispositivo carregue na tecla 8 durante alguns segundos. A informação sobre o sinal do dispositivo chega após alguns segundos. O valor é de 0 a 10 sendo 10 o máximo.

 

  • Como eliminar um dispositivo?

Entrar em modo de programação e carregar em 1.

Após entrar em modo de programação prima a tecla 1 ou 7 para percorrer os dispositivos da lista. Depois escolhe o dispositivo que pretende eliminar e carrega na tecla 2 durante 3 segundos e o dispositivo é eliminado. É ouvida uma informação de que este foi eliminado.

 

  • Que indicações posso eu ter no teclado?

Voltar ao início

 

Cablagens

  • Qual a distância máxima utilizando cabo UTP?

Em Transceivers Passivos, quando utilizamos cabo UTP é necessário ter em atenção algumas situações:

Distância do cabo

Se o cabo UTP levar alimentação terá que ser limitada à distância de 30m no caso de o transformador tiver 12V à saída. No caso de termos uma fonte de alimentação em que possamos variar a saída podemos aumentar a distância desde que asseguremos que na extremidade do cabo temos os 12V ou a tensão da câmara. (Verificar com um multimetro)

No caso de não levar alimentação poderá utilizar cabo até 300m apenas sinal de vídeo

 

Em Transceivers Activos

Visto os transceivers activos atingirem distâncias até 2Km é norma não passar a alimentação através do cabo por uma razão óbvia que são as perdas. Como tal estes representam uma boa solução no que se refere a grandes distâncias.

 

  • Porque utilizar UTP?

A utilização de cabo UTP tem como vantagens:

  1. Possibilidade de ligação de mais do que um sinal no mesmo cabo (até um máximo de 4)
  2. Ou a possibilidade de passar a alimentação também no mesmo cabo.
  3. Na instalação é mais maleável ou seja menos trabalhoso de colocar.
  4. Um custo inferior ao cabo BNC

 

  • Como se ligam os transceivers?

Para efectuar as ligações apresentam-se de seguida alguns esquemas de ligação:


  • Qual a diferença entre transceivers activos e passivos?

A diferença baseia-se na forma como é tratado o sinal. Enquanto que nos passivos não existe nenhum tratamento apenas alteração da impedância (cabo de transporte UTP), os transceivers activos amplificam o sinal o que permite transportar o sinal por uma distância superior.

 

Voltar ao início

 

Câmaras

  • Tipos de câmaras

As câmaras podem ser divididas em 3 grandes grupos:

  1. câmaras normais de que fazem parte as de corpo, as bullet, as mini-câmaras e as dome;
  2. câmaras com movimento usualmente denominadas Speed Dome;
  3. câmaras ocultas que incluem as PIR e os detectores de fumo.

 

As primeiras são as mais utilizadas e encontram-se disponíveis no mercado nos mais diversos formatos. As segundas são câmaras motorizadas que permitem posicionar a câmara segundo diversas orientações e efectuar zoom remotamente, sendo normalmente utilizadas quando se pretende cobrir uma vasta área com uma só câmara. Finalmente, as câmaras ocultas são utilizadas em aplicações muito particulares em que se pretende dissimular a sua presença.

 

  • Resolução de uma câmara

A resolução das câmaras é usualmente medida em TVL ("TV Lines" - Linhas de TV).

  1. Mais Linhas => mais resolução => melhor imagem
  2. Resolução vertical = Nº de linhas horizontais
  3. Resolução horizontal = Nº de linhas verticais

 

Os valores usuais para a resolução são 330, 350, 380, 420, 550 e 600 TVL. Este número de linhas diz respeito à resolução vertical. Normalmente, nas especificações não aparece o número de linhas horizontais porque, teoricamente, são infinitas, dependendo do chip instalado na câmara.

 

  • Sensibilidade à luminosidade (lux)

O número de lux de uma câmara especifica a sua sensibilidade, balizando a quantidade de luz necessária para a obtenção de uma imagem de boa qualidade.

Quanto mais baixo for o valor dos lux da câmara melhor será a imagem obtida em condições de fraca luminosidade. Por exemplo, se tivermos uma câmara com sensibilidade de 0.4 lux e outra com 1.0 lux, a primeira tem uma imagem de melhor qualidade para condições de fraca luminosidade.

 

Em relação ao número de lux necessários para uma determinada aplicação, temos que ter em conta o local de colocação da câmara e as necessidades de visualização consoante as condições de luminosidade. Se se pretende câmaras para serem utilizadas só durante o dia, sensibilidades na ordem dos 5 lux são suficientes. Para situações de interiores com fraca luminosidade e para situações de exteriores com iluminação por candeeiros, são recomendadas câmaras entre os 0.5 e os 2.0 lux. Para locais sem qualquer luminosidade torna-se necessário recorrer a iluminação artificial, por exemplo, luz de infravermelhos em conjunto com câmaras a Preto/Branco. Alternativamente, para a última situação, podem ser utilizadas câmaras a cores Dia/Noite, que comutam do modo a Cores para o modo Preto/Branco em situações de baixa luminosidade.

 

  • Alimentação de uma câmara

Se as câmaras forem colocadas em locais com uma boa terra (particularmente necessária em instalações com câmaras exteriores e distâncias muito elevadas) podem ser usadas câmaras com alimentação 230V AC. Alternativamente, podem ser utilizadas câmaras com alimentação a 12V DC ou 24V AC.

 

  • Comprimento focal de uma lente

Quanto menor for o comprimento focal maior é o ângulo de visão (4mm>8mm>12mm). Na figura abaixo pode ser-se a diferença dos ângulos obtidos do mesmo local usando lentes com comprimentos focais de 4, 8 e 12 mm.

 

  • Auto-Íris

Certos tipos de câmaras não possuem lente incorporada, sendo esta intermutável, podendo usar o mesmo corpo com lentes distintas.

Existem lentes com diafragma (à semelhança das lentes utilizadas em fotografia) ou sem diafragma (lentes de abertura fixa, sem íris). As lentes com íris (diafragma) podem conter íris manual ou auto-iris. Esta última, possui um motor eléctrico acoplado e um sensor que detecta a intensidade da luminosidade, abrindo ou fechando o diafragma de acordo com a luminosidade. Assim, quando escurece, o diafragma vai-se abrindo automaticamente, permitindo que entre mais luz. Como resultado, obtêm-se imagens de boa qualidade, mesmo havendo variações de luminosidade.

 

  • Câmaras PTZ

São câmaras com capacidade de orientação horizontal (Pan), vertical (Tilt) e Zoom.

A câmara PTZ é, tipicamente, uma câmara com zoom, instalada numa base com movimento horizontal de 360º e vertical de 180º, existindo, no entanto, variantes.

 

  • Termos sobre câmaras

BLC - Back light Compensation - Compensação do Excesso de luz existente por trás do objecto a filmar.

AI - Auto íris.

AES - Auto Electronic Shutter - Ajuste electrónico com regulação do tempo de exposição do CCD à entrada de luz.

CS MOUNT - Standard da industria para a montagem de lentes. A montagem CS tem uma rosca com 1" de diametro e 32 filetes/polegada. A distância da superfície da lente à superficie do sensor é de 0.492" (12,497mm)

 

Voltar ao início

 

Geovision

  • O sistema consegue seguir objectos?

Para seguir objectos o sistema da Geovision suporta as seguintes câmaras PTZs:

  1. Sensormatic Ultra IV
  2. Pelco Spectra III
  3. PTZs que utilizam RS422/RS485 como protocolos de comunicação

 

  • O que é um servidor de autenticação?

Comparado com as outras versões onde você deve configurar uma senha em cada PC individualmente, você agora pode configurar uma senha para vários DVRs para um único PC, usando o servidor de Autenticação.

A função é extremamente útil quando é necessário gerir vários DVRs em um local apenas.

 

  • Aumentando a segurança de rede pela criptografia RSA

Pode aplicar a criptografia RSA para proteger arquivos de vídeo enquanto são transferidos pela internet. Poderá ser aplicado na Webcam, VSM, RPB e Center V2.

 

  • Monitorização remota pelo Symbian e Microsoft Smartphone

Agora pode monitorizar estações através do seu Symbian e Microsoft Smartphone. A nova versão permite visualizar em tempo real (JPEG) nesses dois aparelhos.

 

  • Resoluções de vídeo para suportar gravações de áudio

As seguintes resoluções agora suportam gravação de áudio e playback: 640x480 de-interlace (novo), 720x480 de-interlace (novo), 720x240 (novo), 640x240, e 320x240. Suporta também o padrão PAL: 720x576 de-interlace (novo) e 720x288 (novo).

 

  • Maior resolução de vídeo para melhor qualidade de Imagem

Mais resoluções de vídeo são suportados: 720x480, 720x480 de-interlace in NTSC, 720x240; 720x576, 720x576 de-interlace, e 720x288 em PAL.

As resoluções também são utilizadas pelas aplicações de monitorização de objectos, indíce de objectos e contador de objectos.

 

  • Gravação para DVD

Agora é possível exportar arquivos de vídeo para o DVD e reproduzi-los no seu aparelho de DVD em casa! O avançado programa de Backup, feito para trabalhar com programas de gravação do Windows XP e Server 2003 permite copiar arquivos de vídeo diretamente para os CD.


  • Exportar para AVI

A Versão 7.0 permite exportar arquivos de vídeos de várias câmaras de uma única vez. Agora poderá reproduzir múltiplas câmaras de uma vez no Media Player (Anteriormente só podia reproduzir uma única câmara de cada vez).

 

  • Agendamento para Conectar ao Center V2

Agora pode conectar automaticamente ao Center V2 por agendamento.

 

  • Salvar Vídeos como arquivos EXE?

Salvar clips de video em formato EXE para que o utilizador possa auto-reproduzir os arquivos de vídeo em players de terceiros sem a necessidade de efectuar o download do Codec.


Voltar ao início

Sections
 

Parceiros: